quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Natal: a infância como um outro

Resultado de imagem para pedagogia profana larrosa


"(...) a infância é um outro: aquilo que, sempre além de qualquer tentativa de 
captura, inquieta a segurança de nossos saberes, questiona o poder de nossas práticas e abre um vazio em que se abisma o edifício bem construído de nossas instituições de acolhimento. Pensar a infância como um outro é, justamente, pensar essa inquietação, esse questionamento e esse vazio."
Jorge Larrosa, Pedagogia Profana.

O trecho acima foi extraído do capítulo O Enigma da Infância, do livro Pedagogia Profana, escrito pelo grande educador espanhol, filósofo e ensaísta Jorge Larrosa, que dispensa apresentações. 

O livro, sem dúvida alguma, é um clássico da filosofia da educação, transitando entre a pedagogia e a literatura para questionar os parâmetros normativos que aprisionam a infância na modernidade. A concepção de "infância como um outro", se permitirmos, transforma nossa visão de mundo, pois nos autoriza a aprender com as crianças o que não sabemos, o que nunca saberemos e nem deveríamos saber: o mistério da vida, o enigma do que significa existir e compartilhar a existência.

As crianças pequenas, principalmente, em sua sabedoria tão desprezada pelos adultos, teriam muito mais a dizer, a expressar, a ensinar neste mundo estranho que estamos a criar cotidianamente. Seria tão bom se a cada nascimento de um infante nós, adultos, nascêssemos também! Olhar o mundo com olhos deslumbrados, mergulhar na alteridade, deixar-se conduzir pelo outro da infância... 

No documentário abaixo (MITÃ - criança em guarani), temos a oportunidade de pensar essa infância como um outro, de nos deixar tocar por ela na cadência tranquila da natureza que não sentimos mais. Apresento-o como sugestão de encantamento para que tenhamos um Natal mais amoroso, criativo e contemplativo, após um ano tão desesperançoso. 
Quem sabe assim tenhamos coragem para ao menos tentar nascer diferente em 2017!





Texto O Enigma da Infância - ou o que vai do impossível ao verdadeiro:

Entrevista de Jorge Larrosa:


Nenhum comentário:

Postar um comentário