quarta-feira, 23 de maio de 2012

Psicodrama: contribuições grupais

Contribuir para a reflexão de um grupo acerca de temas que possam ser interessantes e relevantes socialmente é um dos objetivos do Psicodrama. Enquanto prática e teoria acerca das relações humanas, o Psicodrama é uma proposta de investigação interpessoal, que focaliza valores, expectativas, sentimentos e atitudes de um determinado grupo.

Através da criação de um espaço lúdico e acolhedor, no qual as pessoas se comunicam e se expressam com mais liberdade, é possível discutir questões polêmicas, que a todos incomodam, como por exemplo, o preconceito.

Em geral temos a tendência de pensar no preconceito, seja ele qual for, como algo que é do outro, que está fora de nós, localizável à distância. Não reconhecemos que a dificuldade de lidar com as diferenças situa-se entre nós, e também em nós mesmos, pois assim fomos educados: na não aceitação de tudo o que possa dizer daquilo que não somos.

E aquilo que não somos, infelizmente, pode tornar-se alvo de frustrações, ressentimentos e ódio, perpetuando sistemas fascistas de poder. Não é de outra maneira que acompanhamos, diariamente, no mundo todo, notícias sobre ataques a casais homossexuais, a pessoas negras, doentes mentais, moradores de rua, refugiados ou qualquer outra condição que revele... o que? nossa própria fragilidade e vulnerabilidade? nossa desigualdade social permanente? nosso medo? nossa loucura?

Seria muito produtivo se conseguíssemos inverter os papéis, ou seja, se experimentássemos um pouco o lugar do outro, a vida das pessoas que percebemos como diferentes de nós. Como olharíamos o mundo deste ponto de vista? O que sentiríamos?

Esta experiência de possíveis transformações são desenvolvidas no palco psicodramático: nele buscamos o outro para, quem sabe, encontrarmos a nós mesmos e, assim, tornarmo-nos humanos. Pois não é disto que somos feitos, de humanidade???

Nenhum comentário:

Postar um comentário