quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

2016: alvorecer

O inominável 2015 já se despede desses habitantes terrestres sem rumo, 
que somos nós.
Que nessa despedida 2015 possa levar consigo todas as tragédias da qual foi palco, 
todos os horrores dos quais foi testemunha, 
todos os sofrimentos da existência humana absurda que teimamos em perpetuar. 



sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Os estudantes que precisamos ser

As imagens são chocantes.
Pra que tanta violência, homens de farda?
Pra cumprir leis que sabotam direitos adquiridos?

Meninas e meninos do século XXI 
- aquele que esperávamos pacífico -
Eis que se insurgem contra o autoritarismo!

Nas ruas, nas praças, nas escolas
Olhos, mãos e cérebros pensantes
Para além da imaginação colonizada.

Que alegria neste momento estar viva 
E testemunhar tamanha criação!
Novos afetos e novas ações 
- aquelas que nós, covardes ou velhos que somos, 
já não inventamos mais.