sábado, 16 de junho de 2012

Precisamos falar sobre o Kevin: um filme que incomoda


Para quem ainda não assistiu, necessário se faz. Para aqueles que supõem ser a perversão e a psicopatia doenças mentais inatas ou genéticas, vale a pena questionar.

Um filme difícil, a nos deixar estupefatos. Belíssimo, talvez necessário ser apreciado durante o dia, pelo menos para as pessoas que têm alguma dificuldade de dormir.

O filme aborda especialmente o relacionamento entre mãe e filho numa família tradicional norte-americana. É baseado no romance Kevin, da autora Lionel Shriver, também dos EUA. A diretora Lynne Ramsay fez uma brilhante adaptação para o cinema, com atores de primeiríssima qualidade.

Qual a importância da afetividade na vida de um ser humano? Até que ponto sua ausência nos desumaniza e contribui para que nos tornemos “monstros”?

Adultos que trabalham com crianças e adolescentes, bem como pais e educadores, todos nós, sem exceção, lidamos com o tema da afetividade, mesmo que não tenhamos consciência disso. Aliás, em geral, este não é um assunto muito discutido, é pouquíssimo valorizado.

Pois bem, creio que seja mais do que urgente falarmos sobre os possíveis Kevin que estamos criando, percebamos ou não.

domingo, 3 de junho de 2012

Contando histórias: poesia e emoção

Cada um de nós é uma história e todos podemos contá-la. Mas há pessoas carismáticas, que se dedicam a nos encantar, produzindo com gestos e palavras imagens ou alegorias importantes, que fazem lembrar nossa condição de seres humanos em um mundo tão transitório, tão frágil e solitário.


Registro aqui nossa homenagem à Carmelina, singular contadora de histórias, e às outras poetisas e poetas que estão apresentando seus trabalhos no Recriando Vínculos Psicoterapia ou que apenas estiveram presentes para contribuir com a emoção deste momento.