quinta-feira, 16 de julho de 2009

O educador facilitador

No nosso mundo contemporâneo, repleto de informações e estratégias de controle a todo momento, é difícil ser um educador facilitador, seja no papel de pai, mãe ou professor.
Somos estimulados, pela própria cultura na qual vivemos e participamos, a dar respostas para todas as perguntas, de preferência respostas que não exijam muita reflexão.
Somos incentivados a explicar racionalmente os fenômenos que nos interessam, sem uma investigação mais sensível e profunda. Dessa maneira, muitas vezes sem perceber, não permitimos que nossas crianças e adolescentes desenvolvam a própria inteligência e criatividade.
Para compreender o mundo e descobri-lo, é preciso ficar angustiado, ter ânsia de pesquisa, num ambiente que acolhe a curiosidade e a busca constante pelo conhecimento. Não me refiro ao conhecimento pronto, mas aquele que se constrói na experiência, na interação.
Normalmente somos nós que ficamos ansiosos com as questões que nos são colocadas, pois entendemos que somos obrigados a responder prontamente a todas as situações. Temos muita pressa e com certeza acabamos por matar nossa própria espontaneidade.
Seria muito mais interessante se pudéssemos possibilitar, a nós e aos outros, momentos mais significativos de dúvidas, dispondo-nos apenas a sentir ou refletir sobre algo que nos inquieta, como faziam os filósofos antigos.
Nossos filhos agradeceriam, nossos alunos aprenderiam que deles depende o conhecimento e nós estaríamos mais próximos daquilo que se considera um educador facilitador.
Alguém que sabe que não sabe tudo e, até por isso, está sempre aberto ao outro, mesmo que este outro seja uma criança correndo atrás de uma pequena formiga...

Andrea R. Martins Corrêa

2 comentários:

  1. O seu artigo coerente e verdeiro nostra com umaa crueza (necessária),como anda a educação e a mentalidade da maioria dos professores. Obrigada!

    Abraços Poéticos

    Ana Marly de Oliveira Jacobino

    ResponderExcluir
  2. Olá Andrea, quanto tempo,né?
    Eu ando tão distante de tudo. Ansiedade pelas férias, sobrecarga de trabalho e esse tempo chuvoso conspiram contra minha pessoa.
    Hoje li um texto num blog de uma amiga e achei legal indica-lo.
    Entra no link http://entelas.blogspot.com/2009/07/redescobrindo-o-mundo.html
    Abraço!

    ResponderExcluir